038 A Verdadeira Apalpeia Lusitana


As Pirocas e os Tesões assinalados
Que da Ocidental Mula Lusitana
Por Seios nunca de antes apalpados
Passaram além da Canzana,
Em coitos e farras esforçados
Mais do que prometia a foda humana,
E entre gajas boas edificaram
Novo Putedo, que tanto sublimaram;


E também as amantes gloriosas
Daqueles Pênis que foram dilatando
A foda, o impropério, e as conas viciosas
De Solteiras e Casadas andaram devastando,
E aqueles que por piças valerosas,
Se vão da lei da canga libertando,
Fodendo esporrarei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o tesão e a arte.


Cessem do punheteiro Cego e do Fulano
As fornicações grande que fizeram;
Cale-se de Manso e de Puritano
A fama das concubinas que tiveram,
Que eu canto o pirilau ilustre Lusitano,
A quem Vénus e Cupido obedeceram.
Cesse tudo o que a pita boa encanta
Que outro mastro mais alto se alevanta.

A Verdadeira Apalpeia Lusitana

 a Lusíada  

Sem comentários:

Enviar um comentário