033 avó, só a tirei fora quando me esporrei

E eis que finalmente o tão almejado dia chegou, sexta-feira, e um pela frente um fim-de-semana inteirinho em casa da minha avó!
Nada de revistas “Gina”, beijos de novela às escondidas, apalpões por cima da roupa, ou punhetas no meio dos lençóis, chegou a hora de ser macho, deitar-me à vontade com uma mulher, apalpar-lhe o corpo nu sem pudor, ir-lhe ao pito durante a noite à vontade, enfim gozar dos prazeres carnais.
A escola passou a voar, e foi sempre a correr que passei em casa a caminho da casa dela, cheguei lá carregadinho de tesão do mijo, a vontade era tanta que só de pensar até parece que sentia o leite a escorrer pelo cano da piça.
Para não variar a minha avó andava de volta do alfobre a sachar o cebolo, e tudo corria pelo melhor, ela não escondeu a alegria de me ver, e ficou radiante por eu ter concordado em ajudar-la com a lenha, ela la ficou de volta da horta e eu lá fui todo contente, serrar, rachar e encastelar lenha, isto é claro que o homem da casa tem de mostrar o seu valor, por fim ela ajudou-me a encastelar as achas e ainda recebi os parabéns pelo trabalho bem feito.
Antes de jantar ainda houve tempo para cuidar da criação, com ela já de olho na galinha para o assado de domingo, e ainda um bom banho de alguidar, porque homem que se prese não janta a cheirar a cavalo e quer-se cheiroso para se deitar ao lado de uma dama.
O jantar estava uma delicia, e eu esgalgado de fome, a acompanhar um vinho daquele (assim) quase sangue que prende na garganta e deixa na boca um travo seco, de beber e esvaziar o caneco, porque é assim que os homens de barba rija fazem.
E depois... nada, nada, mesmo, sei que adormeci com a cabeça completamente à roda, e acordei no divã, ainda zonzo, a meio da manhã.
Depois de um pequeno almoço forte, nada melhor para curar a ressaca do que: ir apanhar erva para os coelhos, e ordenar as ideias. Resumindo: trabalhar como um galego: não dá pito, beber à homem: não dá tesão, e com isto bati todos os meus recordes recentes, mais de um dia sem esvaziar os tomates, tinha de passar ao ataque.
Abeirei-me dela quanto ela preparava o almoço, no lume estava uma panela de sopa grossa de aspeto delicioso.
No fim de almoço, continuou o mesmo filme: nada para o cão, ela esquivou-s sempre, até que pelo meio da tarde, fomos para o monte à lenha, andava-mos por lá há pouco tempo quando ela teve uma súbita vontade de mijar, e eu não ia perder o espetáculo por nada neste mundo, e se a vontade assim ditou, assim o fiz e segui-a de perto como se fosse natural para mim, mas ela também não se descoseu.
Num sitio mais recatado ela levantou a saia e baixou as cuecas até às canelas, e até se deu ao luxo de justificar que usava cuecas, não fosse um qualquer bicho esfomeado lhe comer o pitinho, voltou a levantar a saia e abaixou-se para mijar, nessa altura eu já estava de frente para ela, que enquanto se ria e ia captando a minha atenção, arregaçou uma perna para cada lado, e do meio das pernas jorrou um jacto amarelado, também me pus de cocoras e pude ver melhor aqueles lábios vaginais bem abertos e as pétalas a sair bem para fora da cona.
De um momento para o outro passaram-me as tonturas e as dores de cabeça, dentro das minhas calças crescia o meu pau.
Ela notou e quando se levantou passou a mão pelo mastro, logo de seguida abriu o fecho das calças e agarrou na minha piça que já estava a sair pela portinhola das cuecas fora, parecia-lhe maior que da ultima vez, e quis medir-la com a cona. A minha avó virou-se, desenvencilhou-se das cuecas, levantou a saia até à cintura, apoiou-se num pinheiro, abriu as pernas e empinou o rabo. Não lhe espreitei para os pintelhos, não espeitei melhor as beiças, nem olhei para o olho do cu, espetei logo a piça pela cona dela acima, a puta estava completamente encharcada e o pau enterrou-se todo de uma vez naquela cona folgada, agarrei-me a ela cheio de vontade e só a tirei fora quando me esporrei.

2 comentários:

  1. Estes contos estão otimos, para quando o peoximo?, mais uma vez pesso para colocar aqueles promenores das galochas e assim de resto estão mesmo excelentes parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tbm acho muito bom estes contos ( Anónimo ) se quiser tc um pouco no msn/ skipe - work.3d@hotmail.com

      Eliminar