009 caça à cona

Eu sentia-me um garanhão, e só pensava em conas, têtas, piça tesa e fuder, os meu amigos iam brincar e eu ia procurar ratas, espiar gajas, andava eu bem entretido na boa arte procurar ratas, quando dou com uma sorridente moçoila a lavar no tanque comunitário. Ela tinha já umas quantas peças a corar ao sol e continuava a lavar, deitei-me na erva ao lado da roupa que corava e fui mandando umas piadas, entretanto ela veio colocar mais algumas peças a corar, baixou-se e tive uma daquelas visões maravilhosas pelas pernas acima até ás cuecas branquinhas dela, fiquei de imediato completamente excitado. Entusiasmei-me com a conversa e ela dava-me guita, mas estava-mos longe de falar de sexo, ela lava mais uma peça de roupa e vem colocá-la ao sol, eram umas cuecas, a sabida baixou-se virada para mim, pernas abertas (aos meus olhos estavam escarrachadas) e... sem cuecas, essas estava a pô-las a secar, a cona virada para mim, não lhe via mais que os pintelhos, mas era um tesão. A mocoila começou a apanhar a roupa que estava a corar e a coloca-la em alguidares, eu deixei-me estar e ia espreitando, a rebentar de tesão. A conversa foi andando e quando terminou ela pediu-me se a ajudava a levar um dos alguidares para casa. Seguia ora ao lado a apreciar bem o volume das mamas, ora a trás a mirar o rico cagueiro, e sempre numa conversa animada.
Chegamos a casa e ela pôs-se logo a chamar pelo marido, andou por um lado e por outro a chamar e nada, entramos para a cozinha e ela perguntou-me se eu tinha gostado do que tinha visto, e prontificou-se a mostrar-me melhor. Abriu a bata e já dava para adivinhar, não tinha vestido nada por baixo, estava nuazinha, as mamas cheiinhas a cona peluda, dava para ver que estava muito aflita, com medo e também cheia de tesão, e pediu que lhe mostrasse a piça tesa. Tirei-a para fora e começei a esfrega-la, eu rebentava de tesão, ela passou os dedos pela cona meio a tremer, pediu que a fodesse ali assim, e rápido, tinha medo que chegasse o marido, atirei-me a ela de frente, como se fosse possível fodermos assim, pareciamos dois tolinhos a fazer algo que não deu certo, eu mal sabia foder, ela desesperada, agarrou-me na piça passou-a na racha, tentou enfia-la, ela estava toda enxarcada, lá conseguimos uma posição que deu para enfiar um pouco, quase nada, e eu esporrei-me logo. Ela arfava por todos os lados, fechou logo a bata, mandou-me arranjar e ir logo enbora, e prometeu-me que me havia de dar o pito a sério, outro dia, passada a excitação saí dali a correr, também eu borrado de medo que o marido dela aparecesse, e me desse uma valente surra.

Sem comentários:

Enviar um comentário