004 casa da avó, 2

Durante aquela noite mal dormi e a manha acabei por passa-la na cama para recuperar, depois de almoço a minha avó foi ao mato buscar lenha e eu fiquei a estudar e a pensar nas conas. O jantar foi cedo como habitualmente, e o ritual seguinte o mesmo, a velha encheu um alguidar com água que aquecia numa panela de três pernas ao lume, e preparou-se para o banho, não era preciso mandar-me ir embora da cozinha, mas como quem se tinha distraído com o livro que esfolheava deixei-me ficar, ela também pareceu nem se importar, foi tirando a roupa, apesar de velha estava enxuta, as mamas um pouco caídas mas com algum volume, e um corpo bem composto redondinho mas sem gorduras, a ultima peça que tirou foi as cuecas, para minha surpresa virou o rabo para mim e baixou as cuecas lentamente a mostrar primeiro o cu (e que olho) e depois a racha que aparecia como dois lindos folhos, o meu pirilau explodia dentro das minhas calças. No fim do banho ela vestiu a habitual camisa de dormir preta fina e foi deitar-se, a seguir fui eu lavar-me na mesma água, vesti-me meti-me na cama com ela, a tortura do tesão esperava por mim.

Sem comentários:

Enviar um comentário